2 projetos de construção

de sede aprovados, servindo como Associações Comunitárias

24 horas

Workshops de Fotografia, Mídias Sociais, Rádio, Música e Vídeo voltados para os jovens

85 pessoas treinadas

com cursos profissionalizantes para trabalhos diversos de pedreiro e eletricista

Visualizando no momento

O desafio

Sempre que operamos em um novo território, devemos ter muito cuidado com as pessoas que vivem lá. Fazer parte de um território é mais do que apenas viver num determinado lugar e mais do que apenas ocupar um espaço. Estamos falando de identidade, pertencimento e coletividade. Em geral, as pessoas ali são vulneráveis, vivem em condições precárias e não têm seu potencial reconhecido. Assim, é desafiador mobilizá-las para participar de novas ações propostas por pessoas de fora. É necessário ter muita empatia e ouvir atentamente as demandas da população.

  • LEIA MAIS

    No projeto Bom Jesus, trabalhamos em colaboração com as comunidades Quilombolas (grupos étnico-raciais com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com uma suposta ascendência negra relacionada à resistência à brutalidade do regime de escravidão no Brasil) para obter insights e conhecer as necessidades a fim de desenvolver um Plano Ambiental Básico para as Comunidades Quilombolas afetadas pela implementação de uma usina fotovoltaica.

A solução

Para que esse projeto tivesse sucesso, foi necessário fortalecer o canal de comunicação entre o cliente, a população quilombola e o governo local. Fora os desafios sociais e culturais, o território está localizado numa região com um clima muito seco, onde há várias dificuldades de mobilidade. Mesmo assim, tivemos a presença e a participação ativa de um público muito diversificado e assíduo, permitindo resultados melhores do que os esperados.

O impacto

Por meio desse projeto, foi possível mostrar ao nosso cliente e à população quilombola como um forte canal participativo combinado com total transparência nas ações pode garantir o sucesso do trabalho realizado. Juntamente com a construção participativa da sede das Associações das Comunidades, foi possível aumentar o sentimento de coletividade e pertencimento das pessoas em relação ao seu território. Como resultado, não houve nenhum prejuízo na obtenção da licença ambiental e social para a implantação e operação do projeto, em vez disso, houve a colaboração de muitas mãos para seu sucesso.


Recursos usados

Fale com Arcadis para mais informações e perguntas.

Arcadis ,

Contato Arcadis

Connect with {name} for more information & questions

Arcadis will use your name and email address only to respond to your question. More information can be found in our Privacy office